shape
Envie-nos as suas sugestões!
Festas e Tradições
 
Festa de Santa Luzia

       O dia 13 de Dezembro também é palco de uma festa em honra de Santa Luzia, sendo o local visitado por um certo número de pessoas, oriundas de várias localidades.

       Os romeiros, que há bem pouco tempo se deslocavam à Capela de Santa Luzia para cumprir determinadas promessas, vindo a cantar desde as suas terras até este local, acabando com a romagem à capela, também eram uma linda tradição.

       A Capela de Santa Luzia foi construída, inicialmente, por pessoas da terra devotas da Santa, havendo, logo nessa altura, grandes caminhadas a este templo pela grande fé demonstrada, segundo relatam as memórias paroquiais de 1758.

       Salvador de Sousa, tesoureiro da Confraria fez uma oração dedicada a esta grande Santa.


Festa de S. Mamede e Santo António 2006

       Esta freguesia de Vilarinho tem como orago S. Mamede e como tal, desde tempos remotos, festeja-se no dia 17 de Agosto com uma solenidade religiosa que traz a esta freguesia devotos deste nosso padroeiro.
Festa de Santa Rita

       Santa Rita foi festejada, pela primeira vez nesta freguesia, no mês de Maio com uma missa solenizada pelo grupo coral e com a exibição de um pequeno vídeo, relatando a vida da Santa.

       A imagem foi oferecida pela senhora Rosa Vilaça Araújo da Cunha, devota fervorosa de Santa Rita. Foi por causa desta oferta que a Confraria dos Santos Passos do Senhor e de Santa Luzia resolveu comemorar o seu dia.

       Futuramente, vai continuar a ser venerada no domingo posterior ao dia 22 de Maio.

       Assistam, nesse dia, à missa em sua honra nesta paróquia de São Mamede de Vilarinho.

       Salvador de Sousa, tesoureiro da Confraria fez uma oração dedicada a esta grande Santa.
shape
Oração a Santa Luzia
Oração a Santa Rita
Outras Tradições mais antigas

Oração do meio dia: O sino anunciava a hora do meio dia com o objectivo de lembrar aos que labutavam nos campos ou em qualquer outra actividade, para suspender o seu trabalho e meditarem, reflectirem, rezando e louvando a Deus, agradecendo-lhe a vida, o trabalho, os frutos e a sua alimentação. Actualmente deixou de se realizar.

O toque das trindades: Esta tradição ainda hoje se mantém, com o sino a dar o sinal ao findar o dia de trabalho para recordar mais um dever: orar a Deus, agradecendo-lhe mais um dia de trabalho e de vida.

O louvor às almas do Purgatório: Ainda há pouco tempo havia todas as noites a oração às Almas do Purgatório com uma parte rezada e outra cantada. Às vinte e uma horas , durante a Quaresma, todos os lugares da freguesia cumpriam esta obrigação, em que grupos destinados saíam das suas casas para entoarem essas preces.

Tradição dos Reis

       Cantar os reis já é uma tradição muito antiga nestas terras minhotas. Esta freguesia não foge à regra. Todos os anos um grupo de pessoas percorre esta terra, mantendo vivo este costume.

       Os habitantes recebem, de bom grado, o grupo dos reis, oferecendo-lhe donativos que revertem para fins paroquiais ou associativos.
Pessoas que retomaram a tradição do
louvor às almas em 1996
Pessoas que serviram a igreja em 1995/1996
Da esquerda para a direita: Maria da Silva Pereira, Adelino Peixoto Vivas e esposa Delfina do Carmo Pereira da Costa

  Mapa:

  1. Festas de Santa Luzia
  2. Festa de Santa Rita
  3. Outras tradições mais antigas
  4. Tradição dos Reis
  5. Lausperene
  6. Festa de S. Mamede e Santo António
  7. Crisma
  8. Cerimónia do Lava-Pés na Quinta-Feira Santa
  9. Paróquias de Vila Verde despediram-se da Senhora do Sameiro
  10. Mordomas promovem atividades
  11. Vilarinho recorda tradições da apanha da azeitona
  12. Tradição dos Reis


 
(Para parar o Slide, passe o rato sobre a imagem)
Lausperene

       A palavra Lausperene vem do latim "laus perennis" que significa louvor contínuo. Liturgicamente, consiste na exposição do Santíssimo Sacramento, geralmente, na tribuna do altar-mor para adoração dos fiéis. Há um calendário, a nível da diocese, para que o Louvor ao Santíssimo Sacramento seja permanente nas diversas comunidades paroquiais.
       Noutros tempos, não podia haver interrupções durante 24 horas. Era estipulado um calendário por lugares para que a Igreja tivesse sempre fiéis, mesmo durante a noite.
       Ultimamente, a adoração faz-se durante uma parte da noite e um dia completo. No final há sempre um encerramento solene.
       O Lausperene é, quase sempre, precedido de um tríduo (lat. Triduum) que consiste na preparação dos fiéis com pregações durante três dias.
       As fotos e o vídeo, que constam deste site, elucidam-nos bem do acto solene realizado em Fevereiro em que a comunidade paroquial de Vilarinho viveu, com grande devoção, o seu encerramento.





Festa de S. Mamede e Santo António 2008

Primeira Comunhão/Profissão de Fé
Crisma

A nossa freguesia foi visitada por D. António dos Santos em Abril de 2005

Um grupo de jovens recebeu o Sacramento da Confirmação

       No dia 17 de Abril de 2005, D. António dos Santos, na altura Bispo Auxiliar de Braga e actualmente Bispo de Aveiro, veio ministrar o Sacramento da Confirmação/Crisma a um grupo de jovens desta freguesia de Vilarinho, deixando um verdadeiro testemunho de fé, de amor, de simplicidade e de entrega, sendo um excelente comunicador, cativando aqueles jovens com as suas palavras tão afáveis e tão animadoras para seguirem Cristo com maior coragem e sem vergonha.

 
 
 
 
 
 


(Para ver a legenda, passe o rato sobre a imagem)
(Para ver a legenda, passe o rato sobre a imagem)
(Desligue a música de fundo no lado superior esquerdo da página, antes de tocar o Vídeo)
 
(Desligue a música de fundo no lado superior esquerdo da página, antes de tocar o Vídeo)

 
Cerimónia do Lava-Pés na Quinta-Feira Santa

       O P. Filipe, pároco da freguesia de Vilarinho, levou a efeito o ritual do Lava-Pés, na Quinta-Feira Santa, nesta freguesia de Vilarinho.

       É um gesto de humildade, levando as pesoas a examinar o seu próprio coração, evitar certos actos de orgulho entre irmãos, interiorizando a igualdade e o amor fraternal.

       É um ritual que precede a cerimónia da Ceia do Senhor em que Cristo lavou os pés aos Seus apóstolos, preparando-os para o Acto Sacramental com o coração puro, sem ódio e sem orgulho.
(voltar ao topo)

Clique aqui para ver as fotos todas
shape

 
Encerramento da Peregrinação da imagem de Nossa Senhora do Sameiro às freguesias de Atães, Barros, Codeceda, Penascais e Vilarinho

       Centenas de pessoas juntaram-se terça-feira na capela de Santa Luzia, em Vilarinho, para o último adeus à imagem da Nossa Senhora do Sameiro que, entre os dias 3 e 8 de Dezembro, visitou também as freguesias de Atães, Barros, Codeceda e Penascais, do arciprestado de Vila Verde. A cerimónia, que contou com a presença do pároco das cinco paróquias, padre Joaquim Filipe, e com o padre Agostinho Medeiros, da Congregação do Espírito Santo e do Coração Imaculado de Maria, principiou na igreja paroquial de Vilarinho, de onde partiram em procissão as várias centenas de fiéis que
quiseram associar-se a esta celebração. Antes da consagração ao Coração Imaculado de Maria e do adeus – momentos altos da procissão –, foi feito um louvor a Nossa Senhora do Sameiro por representantes das cinco paróquias, que, assim, puderam celebrar em unidade pastoral o dia da Imaculada Conceição. Esta peregrinação, nunca antes realizada na diocese de Braga, foi promovida pelo padre Joaquim Filipe, que deseja que «a devoção a Nossa Senhora se propague, sempre mais, no seio das suas comunidades». O sacerdote mostrou-se satisfeito com o «envolvimento, empenho e sentimento de unidade demonstrado pelos seus paroquianos desde a primeira hora em que decidiu dar corpo a esta ideia».

in Diário do Minho
Vídeo - Festas de Santa Luzia (13/12/2009)

Parte I

Parte II

Parte III
Festa de S. Mamede e Santo António 2010
Artigos do Diário do Minho sobre D. António  dos Santos, Bispo de Aveiro

Um verdadeiro testemunho I - Abril de 2005

Um verdadeiro testemunho II - Março de 2007
Mordomas promovem atividades

No dia 6 de maio foi entregue a Cruz às mordomas: Alexandra Costa, Ana Meireles, Anabela Oliveira, Catarina Pereira, Clara Costa, Cláudia Oliveira, Débora Fernandes, Jacinta Costa, Liliana Pereira, Marta Vilela, Rosa Pimenta e Maria do Sameiro Peixoto.
No final das cerimónias da entrega da Cruz, iniciaram a angariação de fundos com a venda de bolos no adro da Igreja Paroquial, sendo as pessoas recetivas a esta atividade.
No dia 15 de julho de 2012 promoveram mais uma iniciativa com a venda de frangos assados o que contribuiu muito para angariarem mais uns fundos financeiros para a realização de todas as despesas de mordomas.
Fim de Semana Cultural

    Nos dias 11 e 12 de agosto de 2012 as mesmas jovens levaram a efeito um fim de semana cultural com bastante sucesso, onde não faltaram os variados petiscos, vinho da região e a feira artesanal. Destacamos outros eventos que muito contribuíram para a grandeza do evento, a saber: atuação do grupo musical “Foles do Minho”; sorteio de rifas; cantares ao desafio; animação com Dj kiko e jogos tradicionais.
    No dia 19 de agosto de 2012 participaram na procissão de S. Mamede, pagando o andor do padroeiro.

Continuem com estas atividades para que a visita pascal tenha o efeito desejado!


 

Inauguração do Centro Paroquial de S. Mamede Vilarinho


Inauguração do Centro Paroquial de S. Mamede de Vilarinho
    No dia 17 de agosto de 2013 foi inaugurado o Centro Paroquial de S. Mamede de Vilarinho do Arciprestado de Vila Verde com a presença do pároco da freguesia, P. Joaquim Filipe; Sr. Presidente da Câmara de Vila Verde, Dr. António Vilela; membros da Fábrica da Igreja e da Confraria do Santíssimo Sacramento, assim como personalidades de outras instituições da Paróquia de Vilarinho, bem como todos os paroquianos da freguesia e de outras que se queiram associar a este grandioso ato.
    Foi escolhido o dia de S. Mamede, orago da freguesia, para levar por diante este evento que vai ser integrado na festa religiosa do Padroeiro com a Eucaristia marcada para as 18 horas, seguida de Procissão, sendo a inauguração realizada no final dos atos religiosos.

Síntese histórica do Centro Paroquial

    O edifício, agora recuperado, foi adquirido pela Fabrica da Igreja e pela Confraria do Santíssimo Sacramento, graças ao empréstimo, no valor da sua compra, concedido pela benemérita, já falecida, Luzia Meireles Peixoto.
    O edifício, junto à Igreja Paroquial, estava muito degradado, mas a sua requalificação iniciou-se logo que a Fábrica da Igreja e a Confraria do Santíssimo Sacramento tiveram a anuência, por escrito, da maioria dos paroquianos e de todos os membros das respetivas instituições. Os seus representantes (salienta-se aqui Armando Pereira e João Pimenta Vilela) foram incansáveis para que esta remodelação fosse um êxito, contactando logo o Sr. Presidente da Câmara de Vila Verde, Dr. António Vilela, para uma possível parceria que foi logo estabelecida através de um protocolo, resultando num apoio, sobretudo em material, sendo grande parte da mão de obra custeada pelas duas instituições (Fábrica da Igreja e Confraria do Santíssimo Sacramento), mas 65% da obra foi financiada pela edilidade vilaverdense, tendo um Presidente que valoriza e dá todo o apoio a estas iniciativas, não só aqui, mas também a nível de todo o concelho. Não existe freguesia em que estas instituições não tenham a colaboração da Câmara Municipal que merece todo o nosso apoio.
    É de salientar a colaboração da grande maioria dos paroquianos que contribuiu com as suas ofertas para que as duas instituições pudessem levar por diante esta magnífica obra. A Junta de Freguesia também cooperou com um subsídio, sendo o seu Presidente, João Vilela Pereira, muito recetivo nas ajudas que tem prestado à Igreja e à Confraria dos Santos Passos do Senhor e de Santa Luzia, colaborando também, gratuitamente, com o seu trabalho em várias áreas que domina, poupando muito dinheiro às instituições da paróquia. São homens como estes que precisamos à frente das nossas autarquias para que o nosso património possa ser conservado e sempre mais melhorado, pois sem eles não seriam possíveis estas realizações.

Prof. Salvador de Sousa


Clique para fazer download do discurso do Presidente da Junta João Pereira
Clique para fazer download do discurso do Coronel Carlos Ferreira
Clique para fazer download do discurso do Professor Salvador de Sousa
Vilarinho recorda tradições da apanha da azeitona
   
    A Confraria dos Santos Passos do Senhor e de Santa Luzia da paróquia de Vilarinho, arciprestado de Vila Verde, reviveu, durante o dia 19 de novembro, a tradição da apanha da azeitona, nos moldes tradicionais, no Monte das Oliveiras junto à Capela de Santa Luzia.
    O varejamento da azeitona, com paus de loureiro e canas, teve início após todo o pessoal trabalhador, vestido com trajes apropriados e com utensílios totalmente artesanais (cestos, vassouras de giesta, cirandas, toldos…) desfilou em direção ao local do trabalho com os seus cantares típicos acompanhado com o toque da concertina, cavaquinhos e outros instrumentos musicais que alegraram e animaram o desenrolar dos trabalhos. As desgarradas e outros cantares típicos que as apanhadoras da azeitona e os varejadores entoaram, abstrairam-nos do frio resultante de um vento cortante que apoquentou o local.
    Foram dezenas de pessoas que quiseram juntar-se para reviverem aquilo que os nossos antepassados faziam, sempre com aquela jovialidade própria das nossas gentes do Minho. Estiveram presentes as crianças do Jardim de Infância, alguns jovens da freguesia para que, num âmbito intergeracional, estas tradições tenham a sua continuidade. A ATAHCA, associação pioneira nestes eventos, também se fez representar.
    Para acentuar ainda mais a tradição, houve intervalos para saborearem a deliciosa castanha assada no local e degustarem petiscos trazidos por "donas de casa", não faltando, como é evidente, o vinho verde.
    A azeitona foi posta em água, dentro de sacos apropriados, para, dentro de dias, ser transportada para o lagar, sendo, posteriormente, o azeite vendido para ajudar a custear as obras que a Confraria dos Santos Passos do Senhor está a levar a efeito.
    O Monte das Oliveiras, onde foram plantadas mais 25 oliveiras, ficando com cerca de 40, está a ser totalmente requalificado pela Confraria em parceria com a ATAHCA (Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave), Câmara Municipal de Vila Verde e algum apoio da Junta de Freguesia, contextualizando, no espaço, os principais motivos da Paixão de Cristo.
    A instituição, futuramente, vai propor à Câmara Municipal de Vila Verde que esta tradição seja enquadrada na "Rota das Colheitas", pois contamos com uma produção considerável de azeite.

Salvador de Sousa

 

Magusto no Lugar do Paúlo

O Lugar do Paúlo na freguesia de Vilarinho organizou um convívio/magusto que decorreu com muita animação.

 

Tradição dos Reis
Festas de Santa Luzia 2013

No dia 13 de dezembro (sexta-feira), vai realizar-se a festa de Santa Luzia, com a Eucaristia, às 10 h, na freguesia de Vilarinho – Vila Verde.
Será projetado um pequeno filme que vai relatar a vida de Santa Luzia com cerca de 38 minutos, substituindo o Sermão. Vai ser uma forma de conhecermos melhor a vida desta grande Santa. Teremos oportunidade de vermos os seus grandes milagres.
A juíza é a sra Rosa da Luz Meireles de Sousa Marques que custeará as despesas da festa. O valor do sermão reverterá a favor da Confraria.
Estão todos convidados para estarem presentes, às 10 horas, na Capela de Santa Luzia.

Vilarinho, 8 de dezembro de 2013
Pela Confraria,
Salvador de Sousa

 

Convívio no Parque de Merendas em Vilarinho

No dia 12 de junho, à noite, uma comissão (Coronel Carlos Ferreira, João Pereira, Filipe Vivas e Joaquim Pimenta) proposta pela Confraria dos Santos Passos do Senhor e de Santa Luzia, organizou, um convívio aberto a todas as pessoas da paróquia de Vilarinho. Cada participante pagou a quota estabelecida previamente para fazer face às despesas existentes.
Marcaram presença, além dos inúmeros paroquianos, o presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela; o Presidenta da ATAHCA, Mota Alves; o vereador Manuel Lopes e o adjunto da presidência, Carlos Tiago.
O convívio decorreu num espaço agradável disponível para quaisquer paróquias, instituições, associações, grupos ou qualquer pessoa que deseje petiscar à sombra das Oliveiras ou então à luz dos variados candeeiros que iluminam todo aquele espaço. A Capela também se pode disponibilizar para a celebração de Eucaristias, Batizados, Casamentos e outros eventos.
          O parque de merendas, enquadrado no conjunto arquitetónico onde podemos observar a história da Paixão de Cristo nas dezenas de painéis em azulejo e esculturas em granito, está preparado com mesas em granito, fontenário e uma churrasqueira com todas as condições para grelhar ou cozinhar aquilo que cada um quiser. Convém fazer as marcações para que não haja sobreposições de grupos, contactando, pessoalmente, o Tesoureiro da Confraria, Salvador de Sousa.

A organização