Envie-nos as suas sugestões!
IMPRENSA LOCAL
 
  Artigos:

  1. "Missa numa capela de Vilarinho transmitida em directo pela internet"
  2. "Paróquias de Vila Verde despediram-se da Senhora do Sameiro"
  3. "Paróquias de Vila Verde acolhem Senhora do Sameiro"
  4. "Vilarinho transmite missa pela Internet"
  5. "Obrigado, Provedor de Vila Verde"
  6. "Garantida a construção de um lar em Vilarinho"
  7. "Obras que engrandecem Vilarinho"
  8. "Melhoramentos na Capela de Santa Luzia e na zona envolvente"
  9. "Associação promove jornada de animação"
  10. "Vilarinho tem página não-oficial na Internet"
  11. "Os 25 anos da Associação de Vilarinho"
Artigo publicado no Vilaverdense e Terras do Homem

Obras que engrandecem Vilarinho

       A Junta da freguesia de Vilarinho do concelho de Vila Verde está de parabéns por tudo o que ultimamente tem levado a efeito, pois as obras foram retomadas e há, da parte deste órgão executivo, um forte empenho em querer fazer sempre mais e melhor. É para isso que o povo elege os seus representantes, depositando neles a sua confiança, esperando, durante o mandato para o qual foram eleitos, um trabalho profícuo para o desenvolvimento de empreendimentos essenciais que favoreçam o progresso de uma terra.

       É preciso incentivar cada vez mais as pessoas que querem fazer algo e não passemos o tempo a tentar desmoralizá-las, desmotivando-as, pois ficamos todos a perder. O bem deve ser realçado e a crítica construtiva também é salutar, mas tenhamos a coragem de “ dar a César o que é de César...”e não fiquemos constantemente a querer derrubar o trabalho daqueles que passam muitas horas por dia a pensar no progresso e em tudo o que poderão fazer mais pela sua terra. Felizmente, ainda há muita gente grata que encoraja e que dá ânimo a quem constantemente não se cansa de fazer algo pela sua freguesia.

       Quero, neste artigo, realçar duas grandes obras há muito esperadas e finalmente concretizadas, beneficiando a maioria da população com melhores acessos às suas propriedades e a requalificação de um local central da freguesia, a saber:


       É evidente que há outros empreendimentos já concretizados por esta Junta: aberturas e pavimentações nos lugares do Paúlo e Pomar; alargamentos e pavimentações nos lugares de Real, Valinhos, Escada, Santar... subsídios à Confraria dos Santos Passos do Senhor e Santa Luzia, Fábrica da Igreja, Associação, ao Jardim-de-infância, à Escola do 1º Ciclo, pagamento de uma reportagem fotográfica das cerimónias da Procissão dos Passos e respectiva edição de postais ilustrados...


       Vai também iniciar-se, muito brevemente, a obra de requalificação do adro da Igreja Paroquial de Vilarinho, financiada pela Junta de Freguesia e Câmara Municipal.

       A Associação Cultural, Recreativa e Desportiva de Vilarinho também merece uma palavra de louvor por tudo o que tem feito em prol, sobretudo do desporto, mas também de outras actividades que são também dignas de realce e que, por vezes, passam despercebidas:


       Como vêem não há só desporto! Avivemos a nossa memória e sejamos realistas!


       O presidente desta agremiação, Adelino da Mota Oliveira, e seus colaboradores podem estar contentes com o trabalho realizado, pois é um sector desta freguesia que a tem dignificado muito e contribuído para o bem-estar dos nossos jovens. Continuemos a incentivar estas pessoas, motivando-as para bem de todos nós.

       Termino com uma palavra de apreço à Câmara Municipal, pois tem sido a força motriz e principal financiadora das obras e muitas actividades referidas, estando sempre receptiva a acolher os dinamizadores dos empreendimentos realizados nesta terra de Vilarinho.


Salvador de Sousa


Notícia publicada no Jornal Terras do Homem

Nº 79 24 de Abril de 2003


Grandes melhoramentos na Capela de Santa Luzia e em toda a sua zona envolvente


Atahca comparticipa estas obras em setenta e cinco por cento

Câmara Municipal de Vila Verde oferece candeeiros e ajardinamento do local


       A Confraria dos Santos Passos do Senhor e Santa Luzia tem levado a efeito melhoramentos que muito têm dignificado os seus locais de culto.

       O Adro de Santa Luzia, que se encontrava num estado bastante degradado, adquiriu as suas características próprias de um local religioso e onde se fazem cerimónias centenárias com a presença de milhares de peregrinos que, com fé e respeito, assistem à Comemoração da Crucificação e Enterro do Senhor no Domingo de Ramos de cada ano.

       A Capela de Santa Luzia também sofreu grandes melhoramentos no que diz respeito à pintura exterior; lavagem do telhado, de todos os pilares, cruzes e restante pedra; colocação do rodapé e enchimento e pintura da fachada principal. Serão ainda feitas obras no seu interior.

       Estas obras já há muito que deviam estar feitas, mas não foi possível, devido aos gastos que há dezanove ano se tem vindo a ter com a obra dos escadórios. Uma grande obra que muito engrandeceu e completou todo esse conjunto arquitectónico e que, ainda, não está totalmente finalizada, mas que foi , praticamente custeada, através das receitas da Confraria. É evidente que tem havido ajuda da freguesia e de outras circunvizinhas, como: Pico ( S. Cristóvão), Pico de Regalados, Prado (S. Miguel),Mós, Sande e Coucieiro em que , José Vilela Ribeiro, Delfina Alves da Mota e José Carvalho de Sousa todos os anos prestam relevantes serviços a esta Confraria, cobrando as quotas dos irmãos dessas freguesias e recebendo de outros as ofertas que pretendem dar, mas se não houver ajudas doutras entidades, comparticipando nos projectos, não é possível avançar, como se deseja, com essas obras de custos muito avultados.

Os agradecimentos da Confraria


       A Atahca, na pessoa do seu presidente, Prof. Mota Alves, foi, não há dúvida nenhuma, a principal entidade nesta obra da requalificação do Adro de Santa Luzia e arranjo da capela. Sem a sua comparticipação em 75%, num custo de 49.879,79€,  sem IVA incluído, não era possível, a curto prazo,  a sua realização. O tesoureiro da Confraria, Prof. Ernesto Alves Ferreira, emprestou 26.951,09€ para que a obra fosse acabada já este ano, mas se não fosse a verba da Atahca, que será recebida dentro de pouco tempo, pois está tudo aprovado, não era possível darmos continuidade a tudo aquilo que ainda está para se fazer nas restantes capelas, zonas envolventes e nos próprios escadórios. Os nossos agradecimentos.

       A Câmara Municipal de Vila Verde embelezou, ainda mais, o local, colocando bonitos candeeiros à volta de todo o recinto, electrificando os escadórios e ajardinando toda a zona verde do adro de Santa Luzia. Foi uma óptima ajuda, sem ela seria impossível, neste momento, essa realização.

       O Município de Vila Verde também custeou todas as despesas no desaterro que foi necessário fazer na zona envolvente aos escadórios, podendo-se agora ver e admirar melhor toda a sua grandeza.

       É de frisar, ainda, que desde a primeira hora, a Câmara Municipal tem cedido os seus técnicos para elaboração dos projectos e acompanhamento das obras.

       A Confraria está muito grata com estas entidades (Atahca e Câmara Municipal) pela grande colaboração prestada e pela maneira como tem recebido as pessoas desta instituição religiosa que deseja continuar a preservar tudo aquilo que os nossos antepassados deixaram e, se possível, tentar enriquecer , ainda mais, todo o património e tradições existentes.

       A Confraria também não podia esquecer todas as ofertas dadas pelos devotos do Senhor dos Passos e Santa Luzia, não só nos dias da sua comemoração, mas também ao longo do ano. Sem elas ,esta entidade religiosa, não podia pagar a percentagem que lhe é devida  nos projectos apresentados ultimamente e todas as obras que têm sido feitas, praticamente, à custa das suas receitas, como por exemplo, os escadórios ,exceptuando algumas ajudas da Câmara Municipal: o lago, casa das máquinas e toda a electrificação que está agora a ser feita pela actual Câmara, como já se referiu.

       Agradece-se também à Junta de Freguesia pelo contributo  que tem prestado.


Atahca analisa novo projecto para as restantes obras

Câmara promete apoio

Confraria assumirá os restantes gastos

       
       A Confraria vai reunir muito brevemente para analisar e aprovar um novo projecto que terá como objectivo completar a obra dos escadórios; arranjar  toda a zona envolvente (Monte das Oliveiras), fazendo passeios em  granito com cubos 5x5, deixando zonas verdes com mesas e bancos em pedra, plantando-se mais oliveiras e outras árvores que não descaracterizem o local ;construção de casas de banho e um salão, aproveitando-se o declive do terreno; murar toda a área à volta do referido monte; fazer os melhoramentos em todas as capelas, incluindo a do Senhor do Horto e sua zona envolvente; colocar painéis com os quadros da Via Sacra nas catorze floreiras dos escadórios e nos três calvários existentes tenciona-se colocar, também,  painéis fixos com réplicas dos quadros já existentes, usados, apenas,  no dia dos Passos. Esperamos a sua aprovação por unanimidade e aclamação.

       Contamos com o apoio da Atahca, através da candidatura Leader+, Câmara Municipal de Vila Verde que já nos prometeu o apoio em reunião efectuada com a Confraria e, ainda, com as ofertas dos devotos do Senhor dos Passos, Senhora das Dores e Santa Luzia.

       Esperamos valorizar todos estes espaços num período, o mais curto possível, para podermos inaugurar, em conjunto, todos os melhoramentos efectuados com a presença de todos os seus intervenientes, Irmãos da Confraria e todos aqueles que,  na altura, queiram estar presentes a apoiar todos esses feitos.

       Todos temos o dever de encorajar as pessoas e entidades que levam a efeito estas realizações e devemos ficar satisfeitos, alegres, felizes e com um elevado conforto por termos atingido os objectivos desejados para bem de todos os habitantes da freguesia e de todos os devotos que a visitam , sobretudo na solenidade dos Passos, Santa Luzia e outros eventos.

Salvador de Sousa

Os 25 anos da Associação de Vilarinho

    É com grande prazer que me associo a esta agremiação da minha freguesia no momento em que festeja 25 anos da sua existência e saber que, ao mesmo tempo, mantém um forte dinamismo, sobretudo a nível desportivo, graças ao empenho da direção. O atual presidente tem estado à altura das suas responsabilidades conseguindo prestigiar esta associação que tem trabalhado em prol da juventude e concretizado parte dos objetivos propostos aquando da sua fundação.
    O futebol, uma das principais atrações da juventude, tem sido a tarefa primordial da presente direção, criando as infraestruturas capazes de praticar esta modalidade desportiva, organizando torneios, desafios particulares, entretenimentos e outros eventos. As instalações com o campo de futebol, balneários, bar, sede e todo o terreno envolvente têm, ainda, servido de palco para outras atividades recreativas, ajudando os jovens e a população em geral a passar bons momentos de convívio.
    Grandes apoios têm surgido, sobretudo da Câmara Municipal de Vila Verde que sempre foi recetiva aos pedidos de ajuda para que esta associação conseguisse realizar as suas pretensões. A compra do recinto desportivo foi o seu primeiro grande incentivo, seguindo-se a preparação do campo, das vedações, dos balneários... A Junta da Freguesia de Vilarinho também tem estado presente, colaborando, financeiramente e dentro das suas possibilidades, com subsídios que têm contribuído também para a valorização deste grupo associativo. Da parte da população tem havido alguns voluntários, ao longo do tempo, na concretização de diversos trabalhos, sobretudo ligados à construção do campo de futebol e a outras tarefas complementares. Todos estes apoios surgiram graças ao empenhamento do Presidente, Adelino Mota Oliveira, que tem sabido coordenar, empenhando-se em solicitar todas essas ajudas que não aparecem ao acaso.
    Estive presente na fundação desta associação, coordenando todos os procedimentos e sendo o seu primeiro presidente, mas outros fundadores estiveram também presentes, contribuindo todos, até financeiramente, para que fosse possível formalizar todo o processo da sua constituição.
    Esta associação teve origem num grupo de cavaquinhos fundado pelo nosso saudoso amigo, Francisco da Silva Martins, que a todo o momento se abeirava de mim, no tempo, vereador da Câmara Municipal de Vila Verde, para que se formasse uma associação a fim de poder angariar subsídios de entidades públicas para o grupo formado por jovens da freguesia. Necessitava de ajuda financeira para a compra de instrumentos, para a formação de jovens dentro da área musical e de outras tarefas complementares. Foi assim que no dia 18 de março de 1987 se formalizou a Associação Cultural, Recreativa e Desportiva de Vilarinho com a escritura no Cartório Notarial de Vila Verde, assinando os seus doze sócios fundadores (Ernesto Alves Ferreira, Salvador António Meireles de Sousa, João de Barros Peixoto, Manuel Peixoto de Barros, João Pimenta da Silva Vilela, Agostinho da Silva Ferraz, Jaime Rodrigues Cerqueira, Luís Eduardo Martins Araújo, Fernando Barbosa Teixeira, Adelino Barbosa Teixeira, Francisco Eduardo da Silva Martins e Manuel Soares Meireles). Infelizmente, o principal incentivador, Francisco Martins, faleceu inesperadamente, deixando-nos consternados.
    A primeira direção, como já referi, presidida por mim, tendo como vice-presidente João de Barros Peixoto, secretário Luís Eduardo Martins Azevedo e tesoureiro Agostinho da Silva Ferraz seguiu os desejos do sr. Francisco Martins, criando duas secções, uma desportiva e outra musical, cada uma delas orientadas pelos sócios, João Pimenta da Silva Vilela e Manuel Peixoto de Barros, respetivamente.
    Formou-se uma escola de música, compraram-se vários instrumentos e uma aparelhagem amplificadora, valorizando-se o grupo de cavaquinhos que fez diversas atuações em várias localidades. No que concerne ao futebol também se alugou um terreno para o respetivo campo, formando-se uma equipa que entrou em vários torneios em Vilarinho e noutras localidades dentro e fora do concelho de Vila Verde, além dos desafios no antigo campo do Vilar. Em simultâneo, organizaram-se outras atividades recreativas que, na altura, foram motivo de grandes confraternizações.
    Neste momento, como já disse, está a funcionar em pleno, desejando que continue com essa energia, indo ao encontro. especialmente, dos nossos jovens que ocupam, de uma forma sadia, os seus tempos livres.
    No dia 25 de março a associação festejou as suas bodas de prata com uma organização que prova bem a sua dinâmica. Um programa que, em parceria com a Rádio Voz do Neiva, atraiu a Vilarinho gente de várias localidades circunvizinhas.

Prof. Salvador de Sousa
Obra nos escadórios

Artigo do Diario do Minho publicado no dia 30 de Abril de 2008

Obrigado, Provedor de Vila Verde

       A construção de um complexo de apoio à terceira idade e a outras pessoas que dele necessitem vai ser uma realidade na freguesia de Vilarinho, do concelho de Vila Verde. A garantia foi dada pelo Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde, após aprovação pela mesa da Instituição, dando-lhe plenos poderes para avançar com uma obra tão necessária para esta zona carenciada desses indispensáveis apoios.

       O empreendimento, que será constituído por um lar com 35 quartos, um centro/dia, auditório, consultórios médicos, salas para acções de formação…, vai ser construído numa zona estratégica com várias freguesias circundantes (Sande, Coucieiro, Barros, Gomide, Pico São Cristóvão, Atães, Prado São Miguel) e outras que poderão ser servidas.

       A Fábrica da Igreja vai ceder o direito de superfície, num prazo de cinquenta anos, de um seu terreno à Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde para a construção da obra, na medida em que vai constituir uma mais-valia para uma zona fortemente carenciada desses cada vez mais necessários serviços, ciente também do sucesso, praticamente garantido, pois a Instituição em causa tem já provas dadas para que haja continuidade e um serviço prestado de qualidade, inclusivamente com a disponibilidade dos próprios préstimos do Hospital da Misericórdia de Vila Verde.

       O Provedor, homem prático e com provas dadas, trabalhando sempre mais e melhor para dignificar a Instituição que tanto acarinha, espera iniciar a obra o mais breve possível. A Junta de Freguesia e a Câmara Municipal prometeram todo o apoio, sobretudo nos acessos e noutras infra-estruturas.

       Não existiram entraves de todas as partes envolvidas, inclusive da parte da autoridade eclesiástica, para que a obra possa ser levada a efeito, havendo o empenhamento do pároco, padre Filipe Antunes, dos representantes da Fábrica da Igreja, das confrarias, do próprio presidente de Junta e restantes forças vivas da freguesia. Houve, até, a doação de duas parcelas de terreno limítrofes à propriedade onde vai ser implantado o lar.

       Obrigado, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde, por toda a receptividade e por todo o trabalho que tem tido e terá para levar por diante uma obra que vai engrandecer e dar apoio a todas as pessoas desta região, descentralizando os serviços que se concentram, praticamente, em Vila Verde. Até à data, tem havido o apoio ao domicílio na higiene, na alimentação e em alguns cuidados de saúde, o que tem sido muito bom, pelos centros de Covas e do Pico de Regalados, mas havia urgência de outras valências como, por exemplo, o lar e o centro/dia. Continue a trabalhar pelo bem do concelho de Vila Verde, ajudando a engrandecer, cada vez mais, o sector da saúde, apoio à terceira idade e outros serviços sociais com uma obra de sucesso que constantemente cresce com qualidade à vista de todos os verdadeiros observadores.


Salvador de Sousa
Professor da Escola Monsenhor Elísio de Araújo (Pico de Regalados)
(Para ver o texto em PDF, clique aqui)
Publicado no jornal "Praça Local" no dia 10 de Julho de 2008


Provedor, Bento Morais, garante construção de um lar em Vilarinho

       A construção de um lar de apoio à terceira idade e a outras pessoas incapacitadas vai ser uma realidade em Vilarinho, garantias do Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde, após aprovação pela mesa da Instituição, dando-lhe plenos poderes para avançar com esta obra tão necessária para esta zona carenciada desses indispensáveis apoios.
       Tudo isto começou por uma simples conversa informal com os representantes da Fábrica da Igreja, Armando Costa, e da Confraria do Santíssimo, João Pimenta Vilela, em que eu, tesoureiro da Confraria dos Santos Passos do Senhor e de Santa Luzia, lhes propus que cedessem, se a maioria dos habitantes de Vilarinho concordassem, o Monte da Igreja para a construção de um lar, centro/dia, auditório, consultórios médicos, salas para acções de formação… uma vez tal beneficiação ser uma mais-valia para uma zona fortemente carenciada desses cada vez mais necessários serviços, adiantando-lhes que é importante entregar a instituições vocacionadas para o efeito, já com provas dadas e com sucesso garantido, para que haja continuidade e um serviço prestado de qualidade, inclusivamente com a disponibilidade dos próprios serviços do Hospital da Misericórdia de Vila Verde.
       Concordaram, de imediato, com a minha proposta, pois já era uma obra sonhada por eles há muito tempo, só que não havia coragem para avançar por falta de meios. Sugeri, em seguida, que se fosse falar com o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde, Bento Morais, se havia viabilidade da Instituição, que mui dignamente dirige, assumir toda a responsabilidade da obra, cedendo, a Fábrica da Igreja, o direito de superfície do terreno, no prazo de cinquenta anos, em troca de algumas regalias para a freguesia que ficarão registadas no contrato a efectuar entre as duas partes.
       Logo a seguir, reunimos com o Provedor, homem prático e com provas dadas e que tem dignificado a instituição que tanto acarinha, aceitando a proposta e tudo fez para que ela pudesse ser concretizada, levando-a à reunião da mesa a qual foi aprovada por unanimidade, dando-lhe plenos poderes para avançar, como consta da respectiva acta.
        Não existiram entraves de todas as partes envolvidas para que a obra se possa concretizar o mais rápido possível, havendo logo um envolvimento, além dos elementos já referidos, do pároco, P. Filipe Antunes, sobretudo nas reuniões e serviços administrativos do Paço; do próprio Presidente da Junta que prometeu todo o apoio nas infra-estruturas a realizar no local, sobretudo nos acessos, participando, desde logo, em todo o processo; da Câmara Municipal que se prontificou a prestar toda a ajuda que for necessária e na doação de duas parcelas de terreno limítrofes à Fábrica da Igreja pelas benfeitoras, Maria do Sameiro Araújo Oliveira e Maria da Conceição Carvalho Alves e respectivos maridos, após serem contactadas pelo pároco da freguesia e os tesoureiros da Fábrica da Igreja e do Santíssimo, enfim, um envolvimento geral em prol do esperado empreendimento que a Santa Casa da Misericórdia vai realizar para toda esta região.



Prof. Salvador de Sousa
Vilarinho tem página não-oficial na Internet

       A freguesia de Vilarinho já tem uma página na Internet. Ainda que não oficial, o local da freguesia na rede mundial de comunicação não parece deixar nada a dever a algumas das páginas oficiais.
       Com o domínio www.vilarinho.com.sapo.pt, a página resulta do trabalho promovido por Salvador de Sousa, um professor natural da freguesia, a quem compete a coordenação e gestão dos conteúdos. Foi auxiliado nesta tarefa por Filipe Marques e Luís Sousa, dois jovens que se iniciam na construção de páginas web.
       Com um simpático ‘Bem-Vindo à Pagina de Vilarinho’, o internauta depara-se, desde logo, com o brasão da freguesia, onde dominam o verde, amarelo e púrpura. O corpo central do site na página de abertura apresenta uma breve resenha histórica da freguesia, pontuada pela apresentação de diversas fotografias do património histórico da localidade.
       No banner à esquerda, o internauta encontra oito links: Home, Passos, Páscoa, Tradições, Associação, Rancho, Grupos Musicais e Imprensa Local. Em cada um destes espaços, é possível encontrar um pouco da história e principais actividades promovidas pelos organismos e cidadãos locais. Parta à descoberta desta página, onde também pode deixar a sua sugestão.

in Terras do Homem



 
 
 
 
 
(voltar ao topo)
(voltar ao topo)
(voltar ao topo)
(voltar ao topo)
shape
       Centenas de pessoas juntaram-se terça-feira na capela de Santa Luzia, em Vilarinho, para o último adeus à imagem da Nossa Senhora do Sameiro que, entre os dias 3 e 8 de Dezembro, visitou também as freguesias de Atães, Barros, Codeceda e Penascais, do arciprestado de Vila Verde. A cerimónia, que contou com a presença do pároco das cinco paróquias, padre Joaquim Filipe, e com o padre Agostinho Medeiros, da Congregação do Espírito Santo e do Coração Imaculado de Maria, principiou na igreja paroquial de Vilarinho, de onde partiram em procissão as várias centenas de fiéis que
quiseram associar-se a esta celebração. Antes da consagração ao Coração Imaculado de Maria e do adeus – momentos altos da procissão –, foi feito um louvor a Nossa Senhora do Sameiro por representantes das cinco paróquias, que, assim, puderam celebrar em unidade pastoral o dia da Imaculada Conceição. Esta peregrinação, nunca antes realizada na diocese de Braga, foi promovida pelo padre Joaquim Filipe, que deseja que «a devoção a Nossa Senhora se propague, sempre mais, no seio das suas comunidades». O sacerdote mostrou-se satisfeito com o «envolvimento, empenho e sentimento de unidade demonstrado pelos seus paroquianos desde a primeira hora em que decidiu dar corpo a esta ideia».

in Diário do Minho
Encerramento da Peregrinação da imagem de Nossa Senhora do Sameiro às freguesias de Atães, Barros, Codeceda, Penascais e Vilarinho - 11/12/2009
22/5/2009
Missa numa capela de Vilarinho transmitida em directo pela internet - 13/12/2009

       A missa celebrada hoje na capela de Santa Luzia, em Vilarinho, Vila Verde, será transmitida em directo via internet, informou fonte da paróquia. O início da celebração da Eucaristia – que será presidida pelo pároco, padre Joaquim Filipe Antunes, e que pode ser acompanhada em www.vilarinho-vilaverde.com – está marcado para as 11h00. A festa em honra de Santa Luzia é organizada por uma confraria fundada no século XVII. Neste dia, a capela é visitada por devotos de Vilarinho e das freguesias vizinhas.

in Diário do Minho
Paróquias de Vila Verde acolhem Senhora do Sameiro - 2/12/2009

       Atães, Barros, Codeceda, Penascais e Vilarinho são as paróquias do arciprestado de Vila Verde que aguardam a chegada da Imagem peregrina de Nossa Senhora do Sameiro.
       A imagem vai ser acolhida pelos paroquianos daquelas comunidades, entre os dias 3 e 8 de Dezembro do corrente ano, numa iniciativa que o seu pároco, padre Joaquim Filipe Dias Antunes, decidiu levar a efeito.
       «Como Maria, acolhemos, de coração aberto, o programa diocesano e como ela queremos ser fiéis a Cristo Sacerdote, neste Ano Sacerdotal, alimentando-nos do verdadeiro Pão do Céu, tendo presente, também, os 300 anos do Lausperene que tem sido um acto de entrega, ao longo de tantas gerações, ao Santíssimo Sacramento», refere o sacerdote.
       O pároco acrescenta que é com «espírito de fé e com elevada alegria» que as cinco comunidades paroquiais vão acolher a imagem de Nossa Senhora do Sameiro nas suas paróquias, «pedindo-lhe a sua protecção, como nossa Mãe Carinhosa, para o nosso Portugal, incrementando no nosso coração e no espírito dos nossos governantes actos conducentes aos verdadeiros
valores cristãos».
       O itinerário da passagem da imagem tem início, amanhã, às 12h00, em Vilarinho, com o repique dos sinos na igreja local e a recepção à Virgem por elementos de todas as paróquias. No dia 4 a Senhora do Sameiro ruma a Codeceda, seguindo-se a comunidade de Penascais (dia 5), Atães (dia 6), Barros (dia 7) e Vilarinho, no dia 8 de Dezembro, Festa da Imaculada Conceição, com a consagração ao Coração Imaculado de Maria pelas cinco paróquias.

in Diário do Minho




 
 
 
 
Gerações de Vilarinho em convívio

Associação promoveu jornada de animação em Braga e Santo Tirso

       Perto de uma centena de cidadãos da freguesia de Vilarinho, Vila Verde, participou no passeio-convívio da Associação Cultural, Recreativa e Desportiva local, que decorreu no passado dia 16 de Julho. A iniciativa tinha como mote os festejos da conquista do torneio concelhio de futebol sub-13.
       As passagens pelo Santuário do Sameiro, Monte da Senhora da Assunção-Stº Tirso e Estádio do Desportivo das Aves marcaram a iniciativa. Refira-se que os jovens Infantis defrontaram e venceram uma formação congénere do Aves, cujo resultado se cifrou em expressivos 12-0.
       A jornada-convívio teve como ponto alto a realização de jogos populares no Monte da Senhora da Assunção, em Santo Tirso, onde jovens e menos jovens se envolveram de forma muito activa.

in Terras do Homem