shape
Pequeno Historial

       Nas memórias paroquiais de 1758 já se falava que existia a Capela de Santa Luzia onde afluíam devotos que tinham grande devoção a esta Santa, advogada da vista, onde havia já três Irmandades: uma eclesiástica das almas e duas de leigos, a do Senhor dos Passos e outra de Santa Luzia. Estas duas com o decorrer dos tempos fundiram-se na actual Confraria dos Santos Passos do Senhor e Santa Luzia.

       Esta Confraria foi criada com o objectivo principal de promover a Procissão dos Santos Passos que se vem fazendo no Domingo de Ramos e que traz a esta terra milhares de peregrinos que todos os anos não esquecem a sua devoção ao Senhor dos Passos e à Senhora das Dores. É um acto único nesta região pelo facto de ser uma tradição muito antiga e nunca deixar de se fazer desde o  século XVIII.


Envie-nos as suas sugestões!
Procissão dos Passos
Historial da Confraria
Verónica em 1996
Manuel da Mota Silva e esposa - juízes nos anos 1995 e 1996
Juízes ao longo do tempo

Desde 1955 até aos dias de hoje tem havido juízes que têm custeado todas as despesas da procissão dos passos, a saber:

(seleccione o ano)

Para visualizar a tabela com os dados completos clique no seguinte link:
Tabela
Irmãos

       A Confraria dos Santos Passos do Senhor tem irmãos espalhados por várias freguesias (Vilarinho, Pico S. Cristóvão,  Pico de Regalados, Mós, Prado S. Miguel, Coucieiro e Sande) e que ainda hoje contribuem, anualmente, com as suas quotas estipuladas nos estatutos. Há pessoas na freguesia que se prezam e têm tido grande cuidado em deslocar-se a essas paróquias, perdendo dias de trabalho ou de descanso para efectuarem a cobrança dessas quotas. Em muitos casos, há pessoas que não fazem parte da Irmandade e dão também essas ofertas pela devoção ao Senhor dos Passos.

       Em tempos mais remotos havia um maior número de paróquias e todos os anos a Confraria nomeava grupos de pessoas para efectuarem aí os peditórios. Ainda há pouco tempo, grande parte dava milho, centeio, linho... Este costume acabou e neste momento apenas continuam nas freguesias, acima referidas, onde há irmãos.



1996 - Eram estas as pessoas que efectuavam os peditórios
Actualmente

A partir do ano de 2008, a cobrança das quotas vai ser feita pelos seguintes elementos:

José Vilela Ribeiro e Delfina Alves da Mota - Vilarinho, Pico (S. Cristóvão), Prado (S. Miguel) e Sande.

João Pimenta da Silva Vilela e Armando Pereira da Costa - Pico de Regalados.

Agostinho Ferraz Pimentel e Manuel Augusto Mota Fernandes Tuna - Coucieiro e Mós.

  Mapa:

  1. Pequeno Historial
  2. Juízes ao longo do tempo
  3. Irmãos
  4. Constituição da Confraria
  5. Requalificação do Monte de Sta. Luzia (com novas fotos do parque de merendas)
 
 
 

Constituição da Confraria

Elementos da Confraria em 1996


Da esquerda para a direita: Prof. Ernesto Alves Ferreira (Tesoureiro); Padre João Luís Teixeira Sampaio (Juiz); Prof. Salvador António Sousa (Secretário); Franklin Vilela Meireles (Vogal).
Actualmente

Presidente - P. Joaquim Filipe Dias Antunes

Secretário - Franklin Vilela Meireles

Tesoureiro - Prof. Salvador António Meireles de Sousa

Vogais -  José Vilela Ribeiro; Delfina Alves da Mota; António de Sousa Araújo.
 

(voltar ao topo)
 
Senhor dos Passos
Nossa Senhora das Dores
 
shape
Painel colocado no interior da Capela de Santa Luzia. É visível o fragmento de pedra do Calvário trazido pelo pároco, Padre Joaquim Filipe, da Terra Santa.
Requalificação do Monte de Sta. Luzia
(2011)


       A Confraria está a dar seguimento à requalificação do Monte de Sta. Luzia (área envolvente aos escadórios). Esta obra deve estar concluída, parte dela, até 31 de Dezembro de 2011.
       O projecto, na sua totalidade, vai ter um custo que ronda os €100 000,00. O financiamento aprovado pela ATAHCA (Proder) foi no valor de €61.129,98. Para este valor, a ATAHCA comparticipa com 60% (€36.677,99) e a Confraria dá o restante (€24.451,99). A Junta de Freguesia vai subsidiar com €10 000,00 em quatro prestações. A restante verba (obras que não foram aprovadas pela ATAHCA) vai ser custeada pela Câmara Municipal e Confraria: parque de merendas, pavimentação dos acessos às casas de banho e salão, passeios, parque de estacionamento, electrificação, Via-sacra, rega automática, relva, máquinas...
       Não podemos esquecer as obras já efectuadas: remodelação exterior e interior da capela de Sta. Luzia (pinturas, telhado novo no alpendre com o respectivo isolamento, restauro do tecto em madeira, aparelhagem sonora e restauro do coro, electrificação renovada) e pavimentação do adro, requalificação da Capela do Horto (pinturas interior e exterior, telhado novo e respectivo isolamento, electrificação) e sua área envolvente; restauro das Capelas do Encontro (pinturas interior e exterior, pavimentação do piso em granito e restauro do altar) e da Cana Verde (telhado novo, pinturas interior e exterior, restauro do coro, douramento do altar-mor e restauro do tecto, electrificação renovada); ligação da corrente eléctrica; ligação à rede da EDP; instalação de cabos subterrâneos para fornecimento de energia a todas as capelas, assim como o restauro de várias imagens da Confraria.
 
Vilarinho Vila Verde disponibiliza parque de merendas
(2012)

A Confraria dos Santos Passos do Senhor e de Santa Luzia da freguesia de Vilarinho, concelho de Vila Verde, distrito de Braga, construiu um parque de merendas com diversas mesas que põe à disposição, gratuitamente, para quem quiser petiscar ou passar um pouco de tempo à sombra das oliveiras. Há fontanários, parque de estacionamento e também casas de banho.
Tem condições para se fazerem convívios, pois é um local aprazível, chamado Monte da Oliveiras, com Capela (dedicada ao Senhor do Passos, Senhora das Dores, Santa Luzia e Santa Rita), escadórios com os vários motivos da Paixão de Cristo (em execução) e brevemente haverá uma churrasqueira para complementar o parque de merendas.
Envio esta mensagem que poderá ser útil para excursões de qualquer ponto país ou para qualquer outro evento, por exemplo, convívios de comunidades paroquiais, pois também há um campo de futebol que a associação também disponibiliza.

Coordenadas GPS: 41° 42' 16.72", 8° 24' 35.63"
Contactos: 253341664 ou 919415568 (Confraria); 962415975 (associação).


Conclusão das obras do Monte das Oliveiras em Vilarinho
(2012)


A obra de requalificação do Monte das Oliveiras em Vilarinho, proposta, impulsionada e orientada por Salvador de Sousa, tesoureiro da Confraria dos Santos Passos do Senhor e Santa Luzia, está praticamente completa.
   
O espaço envolvente à Capela de Santa Luzia e Escadórios ganhou nova vida após a concretização deste projeto, orçado em €61.129,98, despesa assumida em 40% por parte da Confraria de Vilarinho (€24.451,99), sendo a restante verba paga pela candidatura inserida na ação 3.2.1 – Conservação e Valorização do Património Rural – através da ATAHCA. No conjunto destas despesas incluem-se a construção de casas de banho, muros de suporte, arrelvamento de toda a área do Monte das Oliveiras e a colocação de painéis alusivos à Paixão de Cristo nos três calvários existentes no espaço e no alpendre da Capela de Santa Luzia.
Despesas extra da Confraria   
De forma a embelezar o espaço, a Confraria arcou com outras despesas que incluíram a mão de obra e todo o material necessário para a colocação de rega automática no espaço relvado, colocação de um painel em azulejo alusivo à Ceia de Cristo e a Via Sacra (em execução) da autoria do pintor António Monteiro, residente em Braga.
Parque de merendas é uma realidade   

O Monte de Santa Luzia dispõe atualmente de mesas e bancos em granito amarelo, todos custeados pela Confraria, que constituem um parque de merendas. Segundo Salvador de Sousa, “este parque, há muito ansiado, tem por objetivo embelezar melhor o local, dar as condições aos peregrinos, devotos do Senhor dos Passos, Senhora das Dores e de Santa Luzia, que se deslocam, na altura da Solenidade dos Passos e durante o ano, à freguesia de Vilarinho, assim como excursões, convívios e outros eventos O parque de merendas, que vai ser equipado, também, de uma churrasqueira, está ao dispor de quem desejar saborear os seus merendeiros à sombra das oliveiras. A Capela de Santa Luzia, do Senhor dos Passos e da Senhora das Dores, local de romagem, está disponível para a celebração dos atos litúrgicos solicitados à Confraria, assim como o Campo de Futebol da Associação que a direção disponibiliza sempre que necessário para integração dos convívios referidos.“
Câmara e Junta de freguesia deram uma ajuda importante
A Junta de freguesia concedeu um subsídio de €10.000, pago ao longo de três anos, para ajudar no pagamento da obra. À Câmara Municipal também coube uma fatia importante do investimento realizado, tendo assumido os custos em material e mão de obra dos passeios, parques de estacionamento, pavimentação dos acessos às casas de banho, mudança de local do calvário, mão de obra para a colocação das mesas e eletrificação de toda a área e exploração de uma água de um monte no Lugar de Real e sua futura canalização para o local.

A população de Vilarinho e de outras povoações regozijam-se com a beleza do novo Monte das Oliveiras e várias famílias da freguesia deram o seu contributo, doando as vinte e três oliveiras plantadas na zona verde.
A obra ainda não está acabada
Salvador de Sousa refere que “estão ainda em execução os catorze painéis, em azulejo, alusivos à via-sacra, a colocação de um fontanário no parque de merendas, o quadro do Jardim de Getsémani, na parte central dos escadórios, com os três apóstolos Pedro, Tiago e João e Cristo a Orar, queda de água e o respetivo lago, assim como os restantes nove apóstolos noutro quadro no exterior do referido jardim (imagens em granito de grande dimensão), um painel com o beijo de Judas e outro com a prisão de Cristo, como que a introduzir os painéis da Via-Sacra, ficando no Monte das Oliveiras os principais momentos da história da Paixão de Cristo. No início da escadaria serão colocadas duas colunas em granito encimadas por dois soldados romanos e na parte frontal da Capela de Santa Luzia serão postas outras duas colunas com as imagens do Senhor dos Passos e da Senhora das Dores. Para dar uma sumptuosidade, ainda maior, à entrada da referida capela, serão erigidas mais quatro colunas com os respetivos pináculos”.
Para estas obras, está prevista a aprovação de mais uma candidatura do Proder inserida na ação 3.2.1 – Conservação e Valorização do Património Rural – através da ATAHCA, sendo um projeto com uma certa originalidade que irá complementar a obra já executada, criando-se um espaço inédito na região.